Press "Enter" to skip to content

Verões de calor recorde como o novo normal no futuro

As temperaturas do verão devem ultrapassar no futuro os recordes registrados no período entre 1920 e 2014. Mas a mitigação do aquecimento global pode reduzir o risco desse aumento, sugere estudo de pesquisadores dos Estados Unidos.

À medida que o aquecimento global avance, o estudo indica que a freqüência e a intensidade de ondas de calor ou de verões extremamente quentes deverá aumentar. Pesquisas anteriores sugeriram que, dependendo do cenário futuro de emissões de gases de efeito estufa, há uma probabilidade significativa da temperatura média dos verões superar os valores históricos.

Os pesquisadores buscaram quantificar a probabilidade dos verões do período entre 2061 e 2080 serem mais quentes do que a média dos últimos 100 anos. Para tanto, utilizaram um conjunto de modelos climáticos para realizar projeções, abrangendo um cenário de baixas e outro de altas emissões.

Mapa de probabilidade de que um determinado verão em 2061-2080 seja mais quente do que período histórico de 1920-2014. Apresenta-se as projeções para (a) um cenários de altas e outro (b) de baixas emissões. A diferença entre os dois cenários (c) mostra as regiões mais beneficiadas com a mitigação do aquecimento global. Fonte: figura 2 do estudo.

Em termos globais, a probabilidade de exceder a temperatura recorde passa de menos de 10% no presente para mais de 80% em 2070, no cenário de altas emissões. Grandes partes da América do Norte e do Sul, da Europa Central, da Ásia e da África registraram probabilidades maiores do que 90%. Quase todo verão seria mais quente que o mais quente observado no período histórico.

Os resultados também sugeriram que no ano 2080, entre 10% e aproximadamente 40% da superfície terrestre registrariam temperaturas recordes no verão. A quantidade de área exposta seria maior no cenário de altas emissões, com variações regionais.

A probabilidade de exceder a temperatura recorde cai para quase metade em um cenário de baixas emissões. Várias regiões, como o Brasil, a Europa ou o leste da China, seriam particularmente beneficiadas com a mitigação do aquecimento global. Como essas regiões são densamente povoadas, os pesquisadores ressaltam o grande beneficio de limitar o aquecimento a um cenário de baixas emissões.

Mas além da exposição humana à ondas de calor extremo, a mitigação do aquecimento é também crucial para a agricultura. O estudo lembra que as ondas de calor, entre outros eventos climáticos, impactam o rendimento da agricultura.

Mais informações: Future risk of record-breaking summer temperatures and its mitigation
Imagem: adaptado da figura 1 do estudo – mapa da fração de área com temperaturas recordes de verão registradas no período histórico (curva preta) e projetadas para o período 2061-2080 (áreas sombreadas de azul e vermelho).

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: