Press "Enter" to skip to content

Urbanização de São Paulo alterou o clima local

Os extremos de precipitação e de temperatura aumentaram na região metropolitana de São Paulo desde a década de 1970, identificou estudo de pesquisadores de uma universidade do México. A tendência estaria ligada ao rápido e desorganizado processo de urbanização.

De acordo como estudo, entre os países em desenvolvimento, o Brasil é um dos mais urbanizados. O processo de urbanização tem ocorrido em grandes centros urbanos ou cidades de pequeno e médio porte do campo. Ele se caracteriza, em geral, pela ausência de um cuidado com a ocupação ordenada do território.

A região metropolitana de São Paulo – RMSP – constitui um dos maiores exemplos do processo de urbanização veloz e desordenado ocorrido no Brasil. Ela ocupa uma área de cerca de 8.000 km2, com uma densidade de 2.465 habitantes / km2.

Mapa indica a expansão da Área Metropolitana de São Paulo entre 1900 e 2016. Fonte: figura 1 do estudo.

Entre os problemas causados pela urbanização descontrolada, a RMSP enfrenta severos episódios de inundação causados, em grande medida, pela intensa impermeabilização da superfície. Além disso, a região atravessa dificuldades de abastecimento de água.

A fim de investigar se as mudanças no uso e ocupação do solo urbano levariam a alterações climáticas, os pesquisadores analisaram a história de urbanização da RMSP em conjunto com séries de dados meteorológicos regionais.

O estudo identificou que a urbanização da RMSP influenciou as condiçõe climáticas. Subiu a frequência de chuvas moderadas e extremas, principalmente a partir de meados da década de 1970. Por outro lado, a quantidade de dias com chuvas leves, menores do que 5mm/dia, diminuiu.

Outros fatores podem estar envolvidos nas alterações detectadas para a precipitação. Os pesquisadores ressaltaram que o estudo não examinou a contribuição deles frente àquela representada pela urbanização.

O mesmo padrão se repetiu para a temperatura. Aumentou a frequência de dias com valores extremos de temperatura, superiores a 32°C. Nos últimos 30 anos, temperatura mínimas mais amenas se tornaram menos comuns.

Mas a influência da urbanização sobre o clima pode ser controlada. Os pesquisadores recomendaram a implantação de medidas para adaptar às alterações observadas e para minimizar os efeitos da urbanização. Uma delas seria a expansão das áreas verdes.

Mais informações: The urban growth of the metropolitan area of Sao Paulo and its impact on the climate
Imagem: Unsplash/ Joao Tzanno

%d blogueiros gostam disto: