Press "Enter" to skip to content

Soluções para reduzir as emissões da indústria

Limitar o aquecimento global exigirá remodelar setores de infraestrutura pesada que consistem em um dos pilares da economia mundial, ressaltou estudo de um time internacional de cientistas. Só assim será possível zerar as emissões de gases de efeito estufa.

O estudo define como infraestrutura industrial pesada aquela de longo tempo de vida útil. Umas vez construída, ela pode moldar a tendência futura de emissões. Inclui o transporte marítimo, o transporte terrestre de longa distância, a aviação, a fabricação de cimento, de ferro e aço, e a rede de energia. 

Em conjunto, essas fontes industriais respondem por 27% de todo o dióxido de carbono – CO2 – atualmente emitido. Corresponde a cerca de 9 gigatoneladas de carbono por ano.

Ao mesmo tempo, os setores de infraestrutura industrial pesada fornecem produtos e serviços indispensáveis para o funcionamento das sociedades modernas.

Segundo os cientistas, à medida que os países se desenvolvem economicamente, os setores de infraestrutura pesada se expandem. Caso a expansão ocorra nos moldes atuais, o aumento acentuado das emissões dos diferentes setores pode se tornar irreversível.

Dessa forma, não basta somente implementar carros elétricos ou geração solar e eólica. Deve-se, argumentam os cientistas, desde já enfrentar os desafios de eliminar as emissões da infraestrutura industrial pesada.

Nesse sentido, o estudo avaliou as principais barreiras à redução das emissões em cada um dos setores, bem como as tecnologias potenciais e as prioridades de pesquisa e desenvolvimento. A premissa era de que tecnologias poderão transformar os diferentes setores industriais, levando à completa descarbonização.

Entre as tecnologias, duas ganharam destaque enquanto potenciais soluções: a criação de novos combustíveis densos em energia e a captura e o armazenamento de CO2.

Como alternativa de combustível denso em energia, o estudou apontou o hidrogênio. Ele poderia, por exemplo, substituir o diesel utilizado no transporte terrestre de longa distância ou na aviação. A pesquisa precisa se concentrar em como reduzir os custos da produção de hidrogênio, que atualmente são 5 vezes maior do que o diesel.

A captura e o armazenamento de COseria fundamental para eliminar as emissões dos setores de cimento e de ferro e aço. Isso porque o processo industrial de ambos depende do coque, um tipo de carvão mineral com grandes concentrações de carbono. A tecnologia de captura e armazenamento evitaria que o CO2 fosse liberado para a atmosfera pelas fábricas.

Não há tempo a perder, alertaram os cientistas. O trabalho de mitigar o aquecimento global na infraestrutura industrial pesada abrange a inovação e a integração de soluções. Tem de se iniciar agora, buscando a diminuição dos custos.

Fonte: UCL
Imagem: Manu Dias – AGECOM/BA

%d blogueiros gostam disto: