Press "Enter" to skip to content

Série negacionismo: “não há consenso científico”

Do Skeptical Science, editado pelo Ciência e Clima – Uma das principais estratégias de instituições e grupos negacionistas é provocar dúvida quanto ao conhecimento científico a respeito do aquecimento global. Estaria a comunidade científica em debate sobre se o aquecimento estaria de fato acontecendo?

Não há cientistas que ‘acreditam’ e outros que não ‘acreditam’ no aquecimento global? Para responder essa pergunta, seria necessário realizar uma revisão em toda a pesquisa e produção científica sobre o tema.

Acontece que essa revisão tem sido realizada desde 1990, por meio dos relatórios do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas – IPCC na sigla em inglês.

O IPCC foi criado justamente para organizar a publicação periódica de um relatório com a síntese do conhecimento científico a respeito do aquecimento global e das mudanças climáticas. Reunidos em uma rede colaborativa, e trabalhando de forma voluntária, os autores do relatório do IPCC são os próprios cientistas.

Uma vez prontos o rascunho dos relatórios, eles são detalhadamente revisados por outros cientistas, especialistas e outros interessados. Também são revisados pelos membros dos países integrantes do IPCC. Só depois desse exaustivo processo, os relatórios são publicados.

Desde 1990, os relatórios organizados pelo IPCC, trazendo a síntese do conhecimento científico, mostram que o sistema climático atravessa um momento de aquecimento global em taxas sem precedentes. Se a tendência atual se mantiver no futuro, até 2.100 as sociedades humanas estarão expostas à graves riscos.

Vale a pena repetir:

  1. o IPCC foi criado para organizar a revisão periódica do conhecimento científico sobre o tema do aquecimento global e das mudanças climáticas;
  2. uma rede constituída por centenas de cientistas é quem produz o relatório sobre o estágio atual do conhecimento da ciência a respeito do aquecimento global, que é exaustivamente revisado;
  3. os relatórios indicam que o aquecimento ocorre e é potencialmente perigoso.

Mas por causa da ação de grupos negacionistas, particularmente nos Estados Unidos, outras fontes de evidência foram produzidas que confirmam o relatório do IPCC.

Estudo de uma pesquisadora da Universidade da Califórnia analisou os resumos de artigos científicos sobre o tema das mudanças climáticas publicados entre 1993 e 2003. Os resultados apontaram que 75% deles consideravam a ocorrência do aquecimento global causado pelas atividades humanas. Os 25% restantes não faziam comentário a respeito.

Outro estudo aplicou um questionário em 3.146 cientistas a respeito da ligação entre as atividades humanas e o aquecimento global. Ao todo, 82% dos respondentes afirmaram haver uma relação, sendo que o número passava para 97,5% entre climatologistas ativamente desenvolvendo pesquisa na área. Conforme aumentava o nível de especialização na ciência do sistema climático, aumentava também o reconhecimento do fenômeno do aquecimento global.

O estudo concluiu que “aparentemente, o debate sobre a autenticidade do aquecimento global e o papel das atividades humanas é largamente não-existente entre aqueles que conhecem os detalhes e a base científica dos processos climáticos de longo prazo. O desafio, na verdade, parece ser como comunicar este fato àqueles que determinam as políticas públicas e ao público em geral (…).”

Gráfico da porcentagem dos pesquisados que afirmaram haver uma ligação entre o aquecimento global e as atividades humanas. Destaque para o contraste entre os climatologistas que desenvolvem pesquisa na área (cor azul mais clara) e a opinião pública (cor azul escura). Fonte: figura 1 do estudo de Doran e Zimmerman (2009).

 

O time de pesquisadores internacionais do Skeptical Science também investigou o assunto. Eles analisaram todos os resumos de artigos científicos publicados entre 1991 e 2011 sobre os temas do aquecimento global e das mudanças climáticas.

Mais de 12 mil artigos foram analisados, sendo que aproximadamente 97% deles indicavam que o atual aquecimento era provocado pelas atividades humanas. Cerca de 2.000 autores também foram solicitados a avaliar os próprios artigos. Mais de 97% deles responderam que o atual aquecimento era devido às atividades humanas.

Não há nada de novo, todavia, nas conclusões dos estudos acima. Eles apenas corroboram o que já havia sido feito pelo IPCC.

Fonte: Skeptical Science e NCAR/UCAR
Imagem: Pixabay

%d blogueiros gostam disto: