Press "Enter" to skip to content

Poluição de incêndios prejudica as plantas

A poluição originada de incêndios tem efeitos negativos sobre os ecossistemas naturais e a produção agrícola mundial, identificou estudo de cientistas da China e do Reino Unido. Eles podem prejudicar o crescimento da vegetação e dos cultivos a centenas de quilômetros de distância.

Queimadas e incêndios emitem poluentes atmosféricos de vida curta, incluindo o gás ozônio – O3 – e material particulado – aerossóis. Esses poluentes impactam a qualidade do ar no local e em regiões próximas. Mas também contribuem para a poluição da atmosfera em escala global.

Segundo o estudo, os incêndios respondem por 3,5% do total de ozônio presente na troposfera – a camada inferior da atmosfera – e por 16% da profundidade óptica total de aerossóis. Regionalmente, a poluição causada pelos incêndios é ainda mais significativa.

No entanto, em geral a pesquisa se concentrava sobre a influência de queimadas e incêndios na saúde pública. Os impactos ecológicos e no ciclo do carbono não haviam sido sistematicamente avaliados. Mas essa questão tem importância porque o ozônio e os aerossóis interferem na produtividade das plantas.

De um lado, o ozônio prejudica a vegetação porque consistem em um gás fitotóxico. Ele reduz a fotossíntese realizada pelas plantas. De outro lado, os aerossóis tem o potencial de estimular a fotossíntese por meio do aumento da radiação difusa.

Para investigar, em escalas regionais e global, os impactos da poluição de ozônio e aerossóis provocados de incêndios, os cientistas utilizaram um conjunto de modelos computacionais e dados de monitoramento. Eles analisaram os efeitos separados e combinados de poluentes de incêndios ocorridos entre os anos de 2002 e 2011.

Os resultados indicaram uma grande variação regional na concentração atmosférica de ozônio devido às queimadas e incêndios. O maior aumento foi observado na África do Sul, onde o fogo leva a um crescimento de cerca de 21% no ozônio.

A média anual também registra elevações do ozônio no centro da América do Sul, na Indonésia, e em partes da Ásia e da América do Norte. As perturbações foram mais intensas durante as estações de fogo das respectivas regiões.

Em escala global, o estudo observou que em mais de dois terços da superfície continental, os incêndios levam a concentração de ozônio a subir.

Ao mesmo tempo, os aerossóis também sobem, especialmente na região da África do Sul, na Amazônia e na Indonésia. Os efeitos também se fazem sentir na escala global.

Mapa impacto da poluição de incêndios
Mapas apresentam o padrão espacial de alterações na produtividade das plantas devido à poluição de incêndios. Os resultados mostram os efeitos combinados de ozônio e aerossóis. À esquerda, os efeitos da poluição do ar considerando fontes humanas e naturais, mas excluindo as emissões de fogo. À direita, os impactos somente das emissões de fogo, excluindo-se fontes humanas e naturais. Fonte: adaptado da figura 4 do estudo.

Ao combinar os efeitos do ozônio e dos aerossóis, o estudo sugeriu um perda na produtividade das plantas em escala global. Os danos não se limitariam aos locais onde ocorrem os incêndios, mas também nas áreas vizinhas, nas quais o vento dispersa a poluição.

Estimou-se que a produção primária líquida global se reduziu em 0,6% ao ano, durante o período avaliado, por causa da poluição por fogo. Em comparação, as estimativas do impacto das secas indicam uma queda de 0,1% ao ano no mesmo período.

As consequências de incêndios e queimadas prejudicam a vegetação e os cultivos, perturbando o sequestro de carbono pelos ecossistemas terrestres.

Além disso, em resposta ao aquecimento global, a tendência é de intensificação de queimadas e incêndios. Junto com a maior poluição por ozônio, a produtividade da vegetação em todo o mundo poderá ser ainda mais prejudicada.

Fonte: Universidade de Exeter
Mais informações: Yue, X., & Unger, N. (2018). Fire air pollution reduces global terrestrial productivityNature communications9(1), 5413.
Imagem: Flickr/ Umbrios

Informações científicas e recursos audiovisuais sobre o aquecimento global, o efeito estufa e as mudanças climáticas
%d blogueiros gostam disto: