Press "Enter" to skip to content

Políticas definirão o papel de veículos autônomos

Os veículos autônomos podem contribuir com a redução das emissões de gases de efeito estufa. Mas também poderiam elevar massivamente as emissões, apontou estudo de cientistas dos Estados Unidos.

Em desenvolvimento por empresas como a Apple, o Google e o Uber, os veículos autônomos consistem naqueles que não possuem um condutor humano. Por meio da combinação de um sistema de sensores e controles com inteligência artificial, o veículo se conduziria automaticamente.

A tecnologia representará uma grande mudança no setor de transporte mundial, com o potencial de modificar profundamente a mobilidade. Mas o desenvolvimento de veículos autônomos não está pautado pelas questões energética e ambiental.

O objetivo do estudo foi investigar esse ponto. Buscou-se caracterizar como a implantação da nova tecnologia influenciará as emissões de gases de efeito estufa e o consumo de energia. Para tanto, os cientistas revisaram a literatura sobre o tema.

As projeções existentes variavam significativamente, dependendo da forma e estrutura de implantação da tecnologia.

Em um dos cenários, a implementação em larga escala de automóveis autônomos facilitaria a mobilidade privada, elevando os quilômetros percorridos por automóveis vazios. Como consequência, triplicaria o consumo de combustível.

Segundo o estudo, quedas significativas no consumo de energia e nas emissões exigiria uma boa administração da tecnologia. Incluiria planejamento e regulamentos elaborados com vistas a evitar a viagem de veículos com poucos ou nenhum passageiro.

Em vez de automóveis particulares, a melhor forma de implantação dos veículos autônomos seria por meio de frotas gerenciadas, sob rigorosos padrões de eficiência de combustível. O compartilhamento se mostrou um aspecto muito importante. Ele promove cortes significativos na quantidade de quilômetros percorridos, do uso da energia e das emissões.

O melhor cenário foi o de frotas autônomas de táxi que operam veículos limpos, incentivam o compartilhamento de viagens e são integradas a outros modos de transporte público e privado.

A efetiva implantação dos veículos autônomos estará vinculada às políticas públicas. São elas que irão definir a aplicação da nova tecnologia. Um dos pontos ressaltados pelos cientistas é evitar que os veículos autônomos sejam adquiridos como alternativa de transporte particular dos indivíduos.

Para limitar o aquecimento global, o setor de transportes terá de reduzir as suas emissões. Os veículos autônomos podem contribuir ou prejudicar esse objetivo.

Fonte: Universidade de Princenton
Imagem: Flickr/ Steve Jurvetson

%d blogueiros gostam disto: