Press "Enter" to skip to content

O gráfico de Vostok

O gráfico de Vostok representou um marco na glaciologia. A retirada de núcleos de massas de gelo para análise em laboratório teve início na década de 1950. O desenvolvimento de análise de isótopos e bolhas de ar presentes nos núcleos de gelo começou a ser desenvolvida a partir da década seguinte.

Em 1987, após diversos esforços de perfuração, uma parceria de cientistas franceses e da ex-união soviética extraiu do Lago Vostok, na Antártica, um núcleo de gelo de mais de 3 quilômetros de profundidade. A partir desse material, pela primeira vez a ciência obtinha informações sobre a temperatura e a concentração de dióxido de carbono – CO2 – da Terra ao longo do mais recente ciclo glacial, cobrindo os últimos 160.000 anos.

A partir das evidência obtidas em Vostok, verificou-se que, durante os ciclos glaciais, os gases de efeito estufa amplificavam os efeitos das diferenças na insolação solar causadas pelas mudanças na geometria da órbita do planeta.

Fonte:  A brief history of ice core science over the last 50 yr
Mais informações: Vostok ice core: a continuous isotope temperature record over the last climatic cycle (160,000 years)

%d blogueiros gostam disto: