Plataforma brasileira de adaptação às mudanças climáticas

O Brasil deve criar uma plataforma digital de adaptação às mudanças climáticas até o final deste ano. Chamada de AdaptaClima, ela irá tornar realidade um dos objetivos estabelecidos no Planto Nacional de Adaptação – PNA, que é desenvolver uma plataforma pública para a gestão e compartilhamento de conhecimento sobre o tema.

O projeto de criação da plataforma envolve o Ministério do Meio Ambiente e o Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces), do Brasil, e o Fundo Newton e o Instituto Internacional para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento – IIED, na sigla em inglês -, ambos do Reino Unido. A plataforma está sendo elaborada com base principalmente em modelos existentes no país europeu, mas considerando as experiências e referências brasileiras.

A intenção é melhorar a capacidade de adaptação brasileira às mudanças climáticas. A plataforma AdaptaClima contribuirá com esse objetivo ao reunir e disponibilizar informação sobre o tema. Servirá como ponto de contato entre produtores de conhecimento ligado à estratégias de adaptação e usuários desse tipo de informação.

O último workshop preparatório aconteceu em Brasília no mês de junho. O evento discutiu o estádio de desenvolvimento da plataforma digital com os participantes, incluindo formas de comunicação e engajamento e opções de governança. A previsão é que a AdaptaClima seja lançada em dezembro deste ano.

Aproveitando a experiência internacional em adaptação às mudanças climáticas

O desenvolvimento da plataforma AdaptaClima se baseia em experiências internacionais. Uma delas é o programa Adaptation Scotland, financiado pelo governo escocês e operacionalizado por uma Organização Não Governamental.

O programa fornece apoio para o setor público, empresas e comunidades desenvolverem ações para se adaptar e reduzir a vulnerabilidade a potenciais impactos das mudanças climáticas. Ele também conecta os usuários a ferramentas, recursos e projetos que podem contribuir na estruturação de estratégias de adaptação.

No site do programa, são disponibilizadas várias ferramentas e recursos, incluindo imagens, vídeos, jogos, entre outros. Elas foram projetadas tendo em vista as etapas do processo de adaptação desenvolvido pelo programa, abrangendo tópicos gerais e outros para setores específicos. Um exemplos das ferramentas disponibilizadas é o vídeo abaixo (em inglês, com legendas), apresentando o que é adaptação e quais as ações sendo tomadas na Escócia:

Outra plataforma digital internacional que serve de modelo à brasileira se chama weADAPT. Desenvolvida pelo Instituto de Meio Ambiente de Estocolmo – SEI, na sigla em inglês -, ela constitui um espaço on-line para compartilhamento de informações e experiências relacionadas à medidas de adaptação às mudanças climáticas.

O site do weADAPT permite a profissionais, pesquisadores e formuladores de políticas se reunirem e interagirem em uma comunidade digital, organizada pelo site do programa. O objetivo é fomentar a colaboração entre os diversos usuários, difundindo a aprendizagem, o intercâmbio, e a integração da pesquisa e de práticas sobre questões de adaptação.

Entre as ferramentas disponibilizadas, o site inclui artigos, links para redes ligadas ao tem das mudanças climáticas, e um mapa interativo onde podem ser consultados vários projetos de adaptação espalhados pelo mundo. O vídeo abaixo (em inglês) apresenta brevemente a plataforma e os recursos disponibilizados.

Mais informações: FGV/EAESP
Imagem: FGV/EAESP – atores envolvidos na elaboração da plataforma AdaptaClima