Press "Enter" to skip to content

Mapa mundial do desmatamento

O mapa apresenta um levantamento da perda de cobertura de árvores, indicador do desmatamento. Ele foi elaborado a partir da análise de imagens de satélite, abrangendo o período entre 2000 e 2014.

As cores escuras mostram áreas onde nenhuma variação significativa foi detectada. As cores amarela, laranja e vermelha, regiões onde se observou perda de cobertura de árvores.

Uma estimativa calculou que a área global de florestas naturais diminuiu em 6% entre 1990 e 2015. Todavia, a velocidade do desmatamento também caiu recentemente. De 1990 a 2000, a taxa anual de desmate global somou  7,3 milhões de hectares. De 2000 a 2015, redeziu para 3,3 Mha.

O desmatamento causa uma redução nos estoques de carbono presentes nas florestas. Calculou-se que os estoques diminuíram em quase 11 gigatoneladas de carbono nos últimos 25 anos. A derrubada das florestas gerou emissões anuais médias de 4 gigatonelas de dióxido de carbono – CO2 – entre 2001 e 2010. As emissões anuais médias caíra para 2,9 Gt CO2 entre 2011 e 2015.

Todavia, a degradação de áreas florestadas apresentou uma tendência inversa. As emissões anuais médias passaram de 0,4 Gt CO2 na década de 1990 para 1 Gt CO2 durante o período entre 2011 e 2015.

A fim de limitar o aquecimento global, será necessário eliminar as emissões provenientes do desmatamento e do uso e alteração dos solos.

Fonte e mapa: Comissão da União Européia/ Hansen et al., 2013.

%d blogueiros gostam disto: