Press "Enter" to skip to content

Imagem do passarinho pinzón mexicano

A imagem mostra o passarinho da espécie Haemorhous mexicanus, conhecida em inglês pelo nome de house finch e em espanhol, pinzón mexicano. O aquecimento global está influenciando na época de reprodução do passarinho, identificou de pesquisadores dos Estados Unidos.

Um dos efeitos do aquecimento global se traduz na modificação das estações do ano. Diversas pesquisas tem observado que algumas aves passam a se reproduzir mais cedo, em resposta ao aumento das temperaturas. Mas a maioria das espécies analisadas se alimentavam de insetos ou outros animais.

De acordo com os pesquisadores, havia pouca informação sobre pássaros cuja fonte de alimento se baseiam em sementes. É o caso do pinzón mexicano.

Uma das dúvidas era se as modificações nas estações do ano levariam a efeitos diretos ou indiretos sobre os hábitos reprodutivos. O principal efeito indireto estaria ligado à influência das condições climáticas sobre o crescimento das plantas, que compõem a fonte de alimento de aves que comem sementes.

A expectativa seria de que os passarinhos que se alimentam de plantas deverão sofrer mais impactos do aquecimento global e das mudanças climáticas. Em especial por causa dos efeitos indiretos.

Para esclarecer esses efeitos, os pesquisadores reuniram registros de ninhos do pinzón mexicano realizados entre 1895 e 2007 no estado da Califórnia. Avaliaram esse conjunto de dados junto com as séries históricas da temperatura durante a primavera na região.

A análise mostrou que para cada aumento da temperatura média em 1ºC, os passarinhos diminuíram o tempo de reprodução nos ninhos em quatro dias e meio. A redução foi bem maior do que aquela observada para aves com outros hábitos alimentares.

Isso confirmaria que espécies que se alimentam de plantas estariam sujeitas à maior influência das mudanças climáticas devido aos efeitos indiretos.

A alteração das estações não implica necessariamente em impactos negativos para o pinzón mexicano, ressaltaram os cientistas. A espécie se adapta às novas condições e talvez até se beneficiem com o aumento da época da reprodução para fazer mais ninhos e gerar mais descendentes.

Todavia, como o aquecimento continua a avançar, é possível que as modificações se tornem tão agudas a ponto de prejudicar as aves.

Fonte: Universidade do Estado de Washington
Imagem: Flickr/Michael Janke

%d blogueiros gostam disto: