Press "Enter" to skip to content

Imagem de Utqiagvik, Alasca

A imagem acima é da cidade de Utqiagvik, localizada no Alasca, Estados Unidos. Ela fica na região do círculo polar ártico, e tem convivido com as alterações no clima provocadas pelo aquecimento global.

Estudo de cientistas de universidades do Alasca e do Canadá investigou as mudanças identificadas pelos moradores de três cidades da região, entre elas Utqiagvik. Um dos aspectos mais importantes para os moradores locais diz respeito ao momento do congelamento e da desintegração do gelo marinho, fundamental para o acesso à pesca e caça no mar.

As comunidades percebiam diversas mudanças no gelo marinho, como, por exemplo, o aumento da presença do chamado gelo podre – parcialmente derretido e fraco. Outros fatores que estariam se alterando seriam a duração da estação do gelo e das temporadas de transição, quando ocorre a formação ou a desintegração do gelo marinho.

Ao investigar dados a respeito dessas variáveis ao longo do período entre 1979 e 2014, os cientistas constataram um crescimento acentuado, durante as temporadas de transição, de episódios de falsa formação e de falsa desintegração do gelo marinho.

Tais episódios constituem eventos em que o gelo marinho ou parece que vai se formar e cobrir boa parte da superfície do mar, ou parece que vai desaparecer, mas após alguns dias a tendência não se confirma e ele volta ao estado em que estava anteriormente.

Os falsos congelamentos e falsos rompimentos tem prejudicado a comunidade local, pois torna mais difícil mudar os modos de transporte com as estações do ano. Durante os intervalos entre os falsos eventos de transição, as cidades correm o risco de ficar ilhadas, sem um método confiável de transporte.

O estudo também identificou um atraso no congelamento e uma antecipação no derretimento do gelo marinho. Todavia, isso não se traduziu em maior acesso à pesca e à caça no mar. Alguns dos dias adicionais de águas abertas se verifica na temporada de tempestades, quando as condições do Tempo impedem o uso de barcos.

Na cidade de Utqiagvik, o estudo também detectou que triplicou o número de eventos de ventos fortes associados à erosão costeira. Outras pesquisas haviam indicado que o prolongamento do período de águas abertas traz consigo maiores taxas de erosão costeira.

Mais informações: Impacts of a lengthening open water season on Alaskan coastal communities: deriving locally relevant indices from large-scale datasets and community observations
Imagem: Flickr/ Andrei Taranchenko

%d blogueiros gostam disto: