Press "Enter" to skip to content

Geleiras do oeste da Antártica estão derretendo

Geleiras no leste da Antártica perderam massa e podem ser vulneráveis ao aquecimento global, identificou estudo de cientistas dos Estados Unidos. A descoberta pode ter sérias implicações para o aumento do nível do mar.

Compreendendo cerca de dois terços do continente, a região leste da Antártica era considerada pela ciência como mais estável e resiliente ao aquecimento. As maiores taxas de derretimento da calota polar haviam sido registrados nas geleiras da porção oeste e na Península Antártica.

No leste da Antártica, por sua vez, observou-se um ganho de massa entre 1992 e 2011. No entanto, duas geleiras da região estão localizadas em terrenos cuja base se encontra abaixo do nível do mar. Em função disso, elas poderiam ficar expostas ao derretimento provocado pelo aumento das temperaturas da água do mar.

A primeira é denominada Totten e a segunda de Universidade de Moscou – o nome foi dado após uma expedição soviética. O gelo contido em ambas seria suficiente para elevar o nível médio do mar em cerca de 5 metros. Pesquisas anteriores estimaram que as geleiras estavam perdendo massa.

O estudo buscou melhorar a precisão das estimativas de perda de massa das duas geleiras. Foram utilizados dados de satélite, medições da descarga de gelo e modelos climáticos regionais.  

Os resultados identificaram que as geleiras perderam 18,5 bilhões de toneladas de gelo por ano entre abril de 2002 e setembro de 2016. Ao longo desse período, o gelo perdido contribuiu para um aumento de aproximadamente 0,7 milímetros no nível médio do mar.

Segundo os cientistas, os sinais de mudança no leste da Antártica ainda se mostram bem mais fracos do que os registrados na região leste. Todavia, os resultados indicam que as geleiras de Totten e da Universidade de Moscou estão expostas à intrusão de água quente do oceano.

Dessa forma, a evolução dessas geleiras pode ser mais importante do que o suposto. Em um cenário em que o aquecimento global avance inalterado, elas apresentam um potencial considerável para contribuir com o aumento do nível do mar.

Fonte: Universidade da Califórnia
Mais informações: Mass Loss of Totten and Moscow University Glaciers, East Antarctica, Using Regionally Optimized GRACE Mascons
Imagem: adaptado da figura 2 do estudo – gráfico da perda de massa da bacia das geleiras de Totten e Universidade Moscou

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: