Incertezas nos inventários nacionais de emissões de gases de efeito estufa

Segundo a rede de notícias inglesa BBC, emissões de gases de efeito estufa não tem sido apropriadamente relatadas nos inventários oficiais de diversos países. A realização de inventários de emissões de gases de efeito estufa a cada dois anos é um dos requerimentos do acordo climático de Paris firmado em 2015.

O problema é que os inventários podem apresentar erros. Como um dos exemplos da imprecisão dos inventários, o levantamento realizado pela reportagem da BBC apresentou o caso italiano. Estações de monitoramento do ar localizados na Suíça detectaram largas quantidades do gás HFC-23, que é 14.800 vezes mais potente do que o CO2. O gás seria proveniente de uma região no norte da Itália, que faz fronteira com a Suíça.

A quantidade de HFC-23, que é produzido pelas indústrias de refrigeração e ar condicionado, somava cerca de 60 a 80 toneladas anualmente. Mas o inventário elaborado pela Itália contabilizava uma quantidade bem menor de emissões do HFC-23 para a região. A agência ambiental italiana diz não concordar com o levantamento realizado pelos suíços.

Outro exemplo seria o inventário dos chineses. A BBC afirma que os inventários apresentados pela China passaram por constantes e significativas revisões. Em 2015, um erro no inventariamento pode ter correspondido a 10% das emissões globais de gases de efeito estufa em 2013. Além disso, em 2007 o país teria resistido a reconhecer em documentos oficiais que havia se tornado o maior emissor de gases de efeito estufa, ultrapassando os Estados Unidos.

A BBC afirma ter identificado vastas incertezas nos inventários de emissões de gases de efeito estufa, especialmente daqueles elaborados por países em desenvolvimento. Por exemplo, ela cita os altos níveis de incerteza relacionados às emissões do gás metano – CH4 – pela Índia. O metano é o segundo mais abundante gás de efeito estufa após o CO2, e uma das fontes é a fermentação entérica de animais ruminantes. A Índia totaliza 15% do total mundial de rebanhos de ruminantes.

Dessa forma, apesar de potencialmente significativas, as emissões de metano informadas no inventário indiano apresentam elevadas margens de erro. A mesma situação, afirma a BBC, pode ser observada no inventário da Rússia. Ainda segundo a BBC, essas falhas representariam uma ameaça ao acordo climático de Paris do que a intenção do presidente dos Estados Unidos Donald Trump de retirar o país do tratado.

Nota do ciência e clima

Ao contrário do que a BBC dá a entender com seu ‘levantamento’, incertezas são parte integrante dos inventários nacionais de emissões de gases de efeito estufa. Por exemplo, emissões de metano – CH4 – e de óxido nitroso – N20 – da agricultura, atividades florestais e outras ligadas à terra são geralmente da orde de 25%-50% ou mesmo maiores (Prather, Holmes and Hsu, 2012). É o caso da Rússia e da China, e de todos os países menos industrializados, cuja economia se baseia menos na indústria e mais no uso da terra. Outro exemplo da literatura científica tratando das incertezas associadas aos inventários é o artigo de Jonas et. al., 2010.

Dessa forma, em primeiro lugar, o texto da BBC é preconceituoso, uma vez que, a partir do que descreve a literatura científica, deve-se esperar maior grau de incerteza nos inventários dos países em desenvolvimento. Assim como incertezas não estão eliminadas dos inventários de países mais industrializados. Em segundo lugar, a BBC é tendenciosa, assumindo claramente o partido de Donald Trump, cujo país é o segundo maior emissor de gases de efeito estufa, sendo disparadamente o maior emissor per capita do mundo. Trump não apenas compromete o acordo de Paris, como tem ameaçado a pesquisa realizada pelas próprias instituições científicas e agências dos EUA.

Fonte: BBC News
Imagem: Freeimages
Fontes
Prather, M.J., Holmes, C.D. and Hsu, J., 2012. Reactive greenhouse gas scenarios: Systematic exploration of uncertainties and the role of atmospheric chemistry. Geophysical Research Letters, 39(9).
Jonas, M., Marland, G., Winiwarter, W., White, T., Nahorski, Z., Bun, R. and Nilsson, S., 2010. Benefits of dealing with uncertainty in greenhouse gas inventories: introduction. In Greenhouse Gas Inventories (pp. 3-18). Springer Netherlands.