Importando e exportando gases de efeito estufa

Emissoes por consumo

Em atendimento à Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – UNCCC, na sigla em inglês -, cada um dos países signatários deve elaborar e atualizar periodicamente um inventário nacional de emissões de gases de efeito estufa.

Os inventários são elaborados conforme metodologia sugerida pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas – IPCC, na sigla em inglês -, estimando as emissões provenientes de distintos setores da economia, incluindo a mudança no uso da terra e florestas.

Todavia, existem outras metodologias para estimar a emissão de gases de efeito estufa. Uma delas é contabilizar as emissões com base nos produtos consumidos internamente pelos países. Nesse caso, mesmo que um país tenha emitido gases estufa na etapa de produção, atribui-se essas emissões ao país que importou e consumiu o produto.

O objetivo do método é esclarecer como o consumo e o comércio se conectam às emissões de gases de efeito estufa ao redor do globo. Proposta por um grupo de pesquisadores em 2010, essa metodologia foi atualizada recentemente pela Organização Não Governamental – ONG Carbon Brief.

Considerando somente o gás dióxido de carbono – CO2, e baseado em dados do ano de 2014, a ONG elaborou um mapa com os maiores exportadores e importadores de emissões (ver imagem acima: importadores na cor vermelha, exportadores na cor azul). Fica clara a divisão do mundo em duas metades. De um lado o ocidente, representado principalmente por Estados Unidos e Europa, como os grandes importadores. De outro lado a Ásia, liderada pela China, como a grande exportadora.

De acordo com a ONG, apesar da relevância da quantidade de exportações e importações, deve-se colocar os números dentro do contexto geral das emissões totais de CO2 de cada país. Por exemplo, as emissões importadas pelos Estados Unidos representam apenas 6% do total que o país emite anualmente, enquanto que as importações da Suíça, muito menores em volume, são 210% maiores.

Nota do ciência e clima:
Outro método de inventariamento de emissões de gases de efeito estufa, realizado por Heede (2013), adotou como foco as companhias produtoras de combustíveis fósseis e de cimento. O estudo atribuiu cerca de 63% das emissões totais de gases de efeito estufa do período entre 1854 a 2010 a somente 90 corporações.

Fonte e imagem: Carbon Brief
Referência:
Heede, R., 2013. Tracing anthropogenic carbon dioxide and methane emissions to fossil fuel and cement producers, 1854–2010

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *