Press "Enter" to skip to content

Derretimento da Antártica triplicou desde 2012

O derretimento da calota polar da Antártica triplicou desde 2012, afirma estudo de um time internacional de cientistas. A aceleração significa uma maior contribuição da calota polar para o aumento do nível do mar.

O estudo envolveu 84 cientistas de 44 organizações internacionais de pesquisa. Para estimar a perda de gelo da calota polar da Antártica, foram combinadas as informações de 24 pesquisas diferentes realizadas com o uso de instrumentos de satélite.

A calota polar da Antártica possui volume suficiente para, caso derretesse completamente, elevar o nível médio do mar em cerca de 58 metros. Monitorar a taxa de perda de gelo do continente é fundamental para avaliar os impactos do aquecimento global no presente e no futuro.

O estudo mostrou que, antes de 2012, o continente perdeu gelo a uma taxa constante de 76 bilhões de toneladas por ano. Isso correspondeu a um aumento do nível médio do mar de 0,2 mm por ano. Entre 2012 e 2017, o derretimento deu um salto para 219 bilhões de toneladas por ano, contribuindo anualmente com 0,6 mm de aumento do nível do mar.

O motivo para o abrupto aumento da perda de gelo foi a uma combinação entre uma menor acumulação de neve e gelo na região oriental da Antártica e uma aceleração no fluxo do derretimento das geleiras do oeste e da Península Antártica.

A principal fonte de derretimento se concentrou no oeste da Antártica. Na década de 1990, as perdas anuais da região somavam 53 bilhões de toneladas. Elas cresceram para 159 bilhões a partir de 2012. A maior parte veio de dois enormes sistemas de geleiras, chamados de Pine Island e Thwaites, que sob a influência da temperatura da água do oceano estão em rápida retração.

Segundo os cientistas, o balanço de massa produzido pelo estudo resultou de vários refinamentos no monitoramento da calota polar e na avaliação de incertezas. O continente está perdendo massa e contribuindo para o aumento do nível do mar mais rapidamente do que em qualquer outro momento dos últimos 25 anos.

O fato serve de alerta para os países sobre a necessidade de proteger as cidades e áreas costeiras.

Produzido pela Universidade de Leeds, o vídeo abaixo (em inglês) apresenta uma síntese do estudo e de seus resultados.

Fonte: Universidade de Leeds e IMBIE
Imagem: Gráfico da perda de gelo da calota polar da Antártica. Fonte: IMBIE/Planetary Visions

 

%d blogueiros gostam disto: