Press "Enter" to skip to content

Conhecimento e adaptação às mudanças climáticas

É preciso abordar conjuntamente o conhecimento sobre o aquecimento global e as mudanças climáticas com a adaptação aos possíveis impactos. Estudo de pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa identificou que agricultores que conhecem os efeitos das mudanças climáticas têm maior probabilidade de adotar medidas adaptativas.

Considera-se que a distribuição dos impactos das mudanças climáticas ocorrerá de forma desigual. A expectativa é de que países em desenvolvimento de regiões de baixa latitude – como os trópicos -, experimentarão maiores prejuízos. Entre os fatores por trás da maior vulnerabilidade estão o agravamento de condições climáticas adversas, a baixa capacidade adaptativa e a grande dependência da economia em relação ao setor primário.

Esse perfil se aplica ao caso brasileiro. Segundo o estudo, a agropecuária responde por aproximadamente 22% do PIB do país. Pesquisas anteriores alertaram para os impactos significativos das mudanças climáticas na produção agrícola nacional, que poderia cair em cerca de 22% até 2050. Os danos poderiam se traduzir em mais pobreza rural e urbana, na intensificação de fluxos migratórios e em insegurança alimentar.

Dessa forma, a adaptação às mudanças climáticas possui um papel fundamental para minimizar os impactos no setor agropecuário e na economia brasileira. Mas, ressaltaram os pesquisadores, a implementação de medidas adaptativas dependerá em grande medida do produtor rural, de suas percepções e conhecimento do problema, e de sua necessidade e capacidade.

Mapa de localização da bacia do Rio das Contas
Mapa de localização da bacia do rio das Contas. Fonte: figura 1 do estudo.

O objetivo do estudo foi explorar a questão de como o conhecimento sobre as mudanças climáticas influencia a adaptação. O levantamento incluiu uma amostra de 289 proprietários rurais da bacia hidrográfica do Rio das Contas, na Bahia.

De acordo com o estudo, mais do que fonte de renda, as atividades agrícolas e a pecuária constituem elementos intrinsecamente ligados à cultura dos produtores rurais. Decisões relacionadas à impactos climáticos abrangem, assim, a vontade das pessoas em permanecer na terra e a disponibilidade de recursos naturais.

Uma das alternativas para promover a adaptação seria a assistência técnica. A grande maioria dos produtores pesquisados – 70% do total -, no entanto, não tinham acesso à assistência técnica. O estudo recomendou o desenvolvimento de políticas públicas que ampliem o serviço, de forma a expandir as medidas de mitigação e de adaptação.

Observou-se que a probabilidade de adotar medidas de adaptação era maior entre os agricultores cientes dos efeitos das mudanças climáticas. Conhecimento e adaptação estariam, dessa forma, correlacionados, e devem ser trabalhados de forma integrada. Nesse sentido, os pesquisadores recomendaram que políticas climáticas como o Plano Nacional de Adaptação sejam precedidos por ações educativas, de conscientização dos agricultores sobre as mudanças climáticas e seus impactos.

O conhecimento e as condições socioeconômicos dos produtores rurais são fatores fundamentais para o sucesso e a eficiência de políticas públicas climáticas. E para compreender melhor os produtores brasileiros e suas realidades, o estudo apontou para a necessidade de mais pesquisas.

Mais informações: Carlos, S. D. M., Cunha, D. A. D., & Pires, M. V. (2019). Conhecimento sobre mudanças climáticas implica em adaptação? Análise de agricultores do Nordeste brasileiroRevista de Economia e Sociologia Rural, (AHEAD).
Imagem: Wikipedia/ Dante Calligaris

Informações científicas e recursos audiovisuais sobre o aquecimento global, o efeito estufa e as mudanças climáticas
%d blogueiros gostam disto: