Press "Enter" to skip to content

Ciclones tropicais interagem com o El Nino

Os ciclones tropicais são influenciados pela Oscilação Sul do El Nino – OSEN, na qual as águas do oceano Pacífico oscilam entre condições quentes – de El Niño -, frias – de La Niña – e neutras. Por sua vez, os ciclones também podem contribuir para a ocorrência e a intensidade do El Niño, apontou estudo de um time de cientistas de universidades da China e dos Estados Unidos.

De acordo com o estudo, a OSEN consiste na principal fonte de variabilidade climática inter-anual, influenciando os padrões de chuva e temperatura em regiões ao redor do mundo todo. Mas a ciência ainda não consegue prever adequadamente a ocorrência de El Niños e La Niñas.

Sabe-se que a OSEN interfere na formação dos ciclones tropicais do Pacífico. Em anos de El Niño, uma quantidade maior de ciclones tende a ocorrer no noroeste do norte do Pacífico. Ciclones nessa região levam a grandes impactos sociais. Efeitos na direção contrária, dos ciclones sobre as variações da OSEN, ainda não haviam sido explorados em profundidade.

Considerando que os ciclones tropicais são eventos climáticos dotados de enorme energia acumulada, os cientistas investigaram se eles poderiam interferir na OSEN. Foi considerado também a possibilidade de utilizar os ciclones para aprimorar a previsão de El Niños e La Niñas.

Combinando dados observacionais do período entre 1970 e 2016 com modelos climáticos, o estudo identificou que ciclones tropicais no noroeste do Pacífico podem intensificar significativamente o El Niño, ou enfraquecer a La Niña. Os efeitos se fariam sentir 3 meses depois, especialmente para ciclones que se formaram nos meses entre julho e setembro.

Ilustração do efeito de ciclones na formação do El Nino
A ilustração mostra os efeitos de ciclones tropicais sobre a formação do El Niño e La Niña. Os ciclones podem interferir na célula de Walker e na termoclina do Pacífico. Fonte: figura 10 do estudo.

Os ciclones formados nesse período do ano tem o potencial de alterar os processos atmosféricos e oceânicos que conduzem à ocorrência de El Niños e La Niñas entre outubro e dezembro. De um lado, os ciclones podem enfraquecer a circulação atmosférica de Walker, que constitui os fluxos de ar nos trópicos.

A circulação de Walker inclui pontos no qual massas de ar sobem para camadas mais altas da atmosfera, e pontos no qual elas descem para a superfície. Ela também condiciona a direção preponderante dos ventos na superfície. Variações na circulação de Walker estão associadas à OSEN.

De outro lado, os ciclones tropicais podem também modificar a profundidade da termoclina do oceano Pacífico. Termoclina é o limite que marca a separação entre a camada de água superficial e quente e a camada de água mais profunda e fria. O El Niño se forma quando ondas de água superficial quente do Pacífico migram do leste para o oeste, fenômeno ligado à modificação da profundidade da termoclina.

A partir dessas informações, os cientistas construíram um novo modelo para previsão da OSEN. A capacidade de previsão da intensidade de El Niños e La Niñas do novo modelo superou em muito aquela dos modelos tradicionais. Os resultados indicam que não somente a OSEN influencia os ciclones tropicais, como também é influenciada por eles.

Mais informações: Wang, Qiuyun, et al. “Tropical cyclones act to intensify El Niño.” Nature communications 10.1 (2019): 1-13.
Imagem: Flickr/ NASA-NOAA GOES Project

Informações científicas e recursos audiovisuais sobre o aquecimento global, o efeito estufa e as mudanças climáticas
%d blogueiros gostam disto: