Press "Enter" to skip to content

Árvores urbanas crescem mais rapidamente por causa do esfeito da ilha de calor e do aquecimento global

As árvores das cidades urbanas estão crescendo mais rápido devido ao efeito de ilha de calor e às mudanças climáticas, diz estudo de um time internacional de cientistas. Os benefícios do ambiente urbano parecem superar os efeitos negativos, mas o crescimento acelerado pode trazer um envelhecimento mais rápido das árvores.

De acordo com o estudo, há diversos registros de efeitos substanciais provocados pela mudança climática no crescimento das plantas. Entre os fatores de influência estão o crescimento das temperaturas, a modificação nas estações do ano e no padrão das precipitações. Eles podem levar a um aumento no ritmo de crescimento de árvores em zonas boreais e temperadas, ou a uma diminuição em zonas mais quentes e secas.

Nos centros urbanos, o efeito da ilha de calor tem o potencial de agravar as interferência introduzidas pelas alterações nas variáveis do clima. Esse efeito se caracteriza pelo aumento das temperaturas na zona urbana. O estudo indica que uma média de 419 grandes cidades mostrou que o aumento diurno da temperatura causado pela ilha de calor é de cerca de 1,5oC. Mas há relatos de variações em áreas urbanas que ficam entre 2°C a 10°C mais altas do que em comparação com áreas não-urbanas circundantes.

Mapa de localização de centros urbanos onde se realizou amostragem de árvores. Fonte: figura 1 do estudo.

Os cientistas investigaram a influência do efeito ilha de calor e das mudanças climáticas através da análise dos anéis de árvores em 10 centros urbanos distribuídos ao redor do planeta (ver mapa acima). Em cada uma das cidades, foi analisada uma espécie, comparando-se exemplares localizados na zona urbana com exemplares localizados em zonas rurais vizinhas. A amostra totalizou 1.383 árvores adultas.

A análise dos anéis das árvores permitiu a reconstrução das condições climáticas dos últimos 150 anos em cada local. A partir dos dados obtidos, foi examinado se o crescimento da árvore – expresso pela relação entre a idade e o tamanho – difere entre os exemplares da zona urbana e os da zona rural.

Os resultados apontam que, de modo geral, a partir da década de 1960 as mudanças climáticas do século passado levaram a maiores taxas de crescimento tanto de árvores urbanas quanto rurais. Tal influência também foi registrada em análise de árvores florestais, e ela parece se dar de modo uniforme. Todas as árvores urbanas e rurais do estudo, distribuídas em diversas zonas climáticas, aceleraram significativamente seu crescimento nas últimas décadas.

Os padrões dos anéis das árvores registram a influência do efeito da ilha de calor e das mudanças climáticas. Os cientistas calcularam que, juntos, eles aceleraram o crescimento das árvores urbanas em 35% em média. O efeito da ilha de calor responderia por 14% do aumento, enquanto que as mudanças climáticas, por 21%. Mas os resultados variaram segundo o tipo de clima.

O crescimento mais rápido traz consigo um envelhecimento mais rápido da árvore, alerta o estudo. Mais pesquisa é necessária para avaliar impactos sobre a estabilidade e a resistência das árvores urbanos. E o planejamento e gestão das áreas verdes das cidades deve se adaptar às mudanças na taxa de crescimento.

Mais informações: Climate change accelerates growth of urban trees in metropolises worldwide
Imagem: Flickr/Caio Vinicius Reis de Carvalho – Parque Municipal de Belo Horizonte

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: