Press "Enter" to skip to content

Aquecimento intensificará os efeitos do El Niño

A intensidade de ondas de calor e de incêndios associados ao El Niño poderá aumentar devido ao aquecimento global, apontou estudo de cientistas dos Estados Unidos.

O oceano Pacífico apresenta um ciclo denominado de Oscilação Sul do El Niño – OSEN. A oscilação é marcada pela ocorrência de anos de El Niño, nos quais a temperatura das águas superficiais do centro e leste do Pacífico se eleva, bem como por um efeito contrário, chamado de La Niña.

A OSEN provoca uma redistribuição de calor, precipitação e ventos ao redor de todo o mundo. Segundo o estudo, a influência da OSEN foi pela primeira vez identificada no início do século 20, por meio da alteração na monção indiana.

Desde então, verificou-se que sua influência trazia amplas e profundas consequências socioeconômicas e ecológicas. 

Um dos efeitos da OSEN se dá na intensificação de eventos climáticos extremos. Por exemplo, durante o El Niño moderado de 2009 e 2010, a bacia Amazônica experimentou uma seca severa e fortes ondas de calor. Considerou-se as anomalias observadas bem maiores do que o esperado, com base em episódios anteriores do El Niño.

Entretanto, avaliar as mudanças da OSEN e de suas influências devido ao aquecimento global constitui uma atividade extremamente desafiadora. Os desafios estão ligados à grande variabilidade interna e à complexidade da interação entre as águas do Oceano Pacífico e a atmosfera.

Os cientistas utilizaram um conjunto de modelos climáticos para investigar como o aquecimento global interferiria no efeito da OSEN sobre os eventos climáticos extremos. Os modelos realizaram simulações de um cenário de altas emissões de gases de efeito estufa, considerando o período até 2100.

As simulações indicaram que o aquecimento levaria a aumentos na força de teleconexão da OSEN com muitas regiões terrestres. As teleconexões representam uma ligação entre as condições climáticas entre uma região e outra do planeta, em geral por meio da circulação atmosférica.

Uma vez que as teleconexões se tornem mais intensas, também se intensificarão os efeitos do El Niño ou da La Niña, como, por exemplo, a variação na temperatura ou na precipitação. A maior amplificação das teleconexões se verificaram no trecho meridional da América do Norte e da Austrália. As mudanças projetadas pelos modelos foram menos consistentes na América do Sul.

Os resultados sugeriram que os efeitos da OSEN irão se intensificar com o aquecimento global. Dessa forma, subirá a probabilidade e a severidade de temperaturas extremas regionais. Com isso, também tendem a crescer a frequência de incêndios florestais.

O estudo não estimou possíveis mudanças na variabilidade dos ciclos do El Niño ou da La Niña. Mesmo que a variabilidade permaneça inalterada ou diminua um pouco, em um mundo em aquecimento aumentará a probabilidade de eventos climáticos extremos, de impactos e de riscos.

Mais informações: ENSO’s Changing Influence on Temperature, Precipitation, and Wildfire In a Warming Climate
Imagem: adaptado da figura 1 do estudo – mapa de resposta da temperatura média a um evento de El Nino na América do Sul. O mapa (c) mostra o aumento médio observado entre 1920 e 1980, (f) mostra o aumento no mesmo período simulado pelos modelos climáticos, e (i) traz o aumento projetado para 2100.

%d blogueiros gostam disto: