Para alcançar a meta do acordo climático de Paris, é preciso ir além do compromisso assumido pelos países

Os compromissos de mitigação do aquecimento global apresentado pelos países após o acordo climático de Paris não  limitarão o aumento da temperatura média global a no máximo 2°C acima dos níveis pré-industriais. Estudo de pesquisadores holandeses mostra que iniciativas de atores não nacionais também não serão suficientes para atingir a meta.

Entre os atores não nacionais, o estudo cita a sociedade civil, o setor privado, instituições financeiras, ou as cidades. As iniciativas desses atores podem ocorrer dentro do contexto da Convenção das Nacões Unidas para as Mudanças Climáticas ou fora dela. Elas ampliam o alcance da política climática internacional.

O estudo investigou 11 iniciativas transnacionais de redução de emissões de gases de efeito estufa promovidas por atores não nacionais. Procurou-se quantificar a contribuição efetiva e adicional das iniciativas aos planos nacionais de mitigação das mudanças climáticas. A partir de um modelo computacional, os pesquisadores estimaram o impacto global das iniciativas em setores relacionados à energia, agricultura, silvicultura e uso da terra.

Outro aspecto importante foi a análise da sobreposição das iniciativas propostas por atores não nacionais às ações propostas pelos países. A fim de que sejam realmente efetivas, as primeiras não podem se sobrepor às últimas, mas serem complementares.

Gráfico indicando as reduções adicionais de emissões em 2020 e 2030 de iniciativas de cooperação internacional não nacionais (azul escuro) e quantidade de sobreposição com os compromissos assumidos pelos países (azul claro). Fonte: figura 2 do estudo.

Os resultados do modelo sugerem que as onze iniciativas analisadas, se totalmente implementadas, gerariam reduções anuais de emissões de gases de efeito estufa de 2,5 gigatoneladas de CO2eq até 2020, e de 5 gigatoneladas de CO2eq até 2030.

Contudo, essas reduções estariam significativamente sobrepostas aos compromissos dos países (ver gráfico acima). O estudo calculou que a taxa de sobreposição seria de cerca de 70% até 2020 e 80% até 2030. Dessa forma, com a implementação das 11 iniciativas, o total de emissões anuais ficaria entre 53 e 55 gigatoneladas de CO2eq.

Verifica-se que o ganho seria pequeno, uma vez que, sozinhos, os compromissos anuais levariam a um total de emissões entre 54 e 56 gigatoneladas de CO2eq até 2030. Apesar disso, o estudo argumenta que iniciativas de atores não nacionais ainda são fundamentais para se alcançar a meta de 2°C e devem ser aprimoradas.

Mais informações: Integrated assessment of international climate mitigation commitments outside the UNFCCC
Imagem: Pixabay