Efeitos do aquecimento global sobre as montanhas

Mountains

 

A criosfera – geleiras, neve e solos congelados – das regiões montanhosas do planeta está em rápido processo de retração. A maioria das geleiras se encontra fora de equilíbrio com o clima atual e deve perder até um terço de seu volume. Essa tendência deverá se acelerar nas próximas décadas com o aumento das temperaturas causado pelo aquecimento global.  A alteração da criosfera das montanhas impactará a vida das pessoas, a economia e os ecossistemas, incluindo áreas de planícies adjacentes (a imagem acima ilustra essa relação entre as montanhas, ecossistemas, e atividades humanas).

Um grupo de cientistas de diversas instituições internacionais realizou uma revisão da literatura científica a respeito da influência do aquecimento global sobre a criosfera das montanhas e seus sistemas fluvial e biótico. O estudo propôs possíveis formas de adaptação a um cenário futuro no qual regiões montanhosas não possuam mais gelo e neve perenes. Metade da população mundial tem em reservatórios de gelo e neve das montanhas a principal fonte de água para atividades como geração de energia hidrelétrica, abastecimento domiciliar e industrial, agricultura e recreação.

As geleiras e neve das montanhas são fontes fundamentais de águas das bacias hidrográficas locais, especialmente durante os meses de verão. Com o aumento das temperaturas, o padrão é que aumentem a quantidade de água em curto prazo, devido ao seu derretimento e retração, e diminuam em médio e longo prazo. Esse padrão foi detectado em algumas bacias hidrográficas montanhosas nos Andes, na América do Norte e Europa. A possibilidade de trombas d’água também aumenta.

A mudança climática traz alterações para a comunidade biótica local. Espécies ligadas à condições mais frias colonizam áreas mais altas, sendo substituídas por outras melhor adaptadas a temperaturas mais altas. Taxas locais de diversidade de espécies se alteram; habitats se expandem ou diminuem, especialmente em áreas vinculadas à criosfera. Os ecossistemas aquáticos são profundamente modificados por alteração nas vazões e temperatura da água, no transporte de nutrientes e sedimentos, na estabilidade das encostas.

O estudo ressalta que medidas de adaptação às novas condições climáticas serão necessárias em todas as regiões ligadas à criosfera de montanhas. Impactos já tem sido observados. Em alguns lugares dos Alpes, o transporte de sedimentos em cursos d’água subiu de forma sem precedente, levando à relocação de sistemas de transporte e de comunidades. Nos Andes Peruanos, com a diminuição das geleiras, a disponibilidade de água ficou reduzida durante os meses mais secos.

Segundo os cientistas, a criosfera das regiões montanhosas e seus sistemas associados ainda são pouco conhecidos. Isso demanda mais pesquisas e integração entre disciplinas científicas, com a participação da sociedade.

 O estudo pode ser encontrado aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *