Press "Enter" to skip to content

Expondo os ‘especialistas’ que dizem que o aquecimento global é uma farsa, e como identificar um

Blogs que negam o aquecimento global tem por objetivo provocar dúvidas no público por meio da desinformação, conclui estudo de um time internacional de cientistas. Espalhando mal-entendidos das causas e conseqüências do aquecimento global, os blogs negam ou ignoram a evidência científica.

De acordo com o estudo, observa-se um abismo entre a opinião pública e a comunidade científica. O distanciamento de pontos de vista seria causado por vários fatores. Alguns veículos de comunicação abordam deturpadamente o assunto. Políticos eleitos, sem respaldo científico, confundem o público negando ou colocando em dúvida o aquecimento global.

As mídias sociais, como o Facebook ou o Twitter, constituem uma voz poderosa na formação da opinião pública. Outra forma de promover pontos de vista na internet são os blogs. Blogs com grande número de acessos influência a opinião pública e até mesmo decisões políticas. Muitos deles são dedicados à negação do aquecimento global, de suas causas e consequências.

A fim de melhor caracterizar a cobertura do assunto realizada pelos blogs, o estudo levantou um total de 90, avaliando as informações apresentadas por cada um deles. Metade dos blogs avaliados era destinada à divulgação científica, metade era dedicada ao negacionismo.

O foco do estudo foi o tema ligado aos ursos polares e ao gelo marinho do Ártico. Para estabelecer o estado atual da pesquisa científica sobre o tema, o estudo revisou 92 artigos publicados em jornais científicos discutindo as tendências do gelo marinho ártico e a vulnerabilidade dos ursos. A partir de uma análise de conteúdo, a posição de cada um dos 90 blogs a respeito do tema foi metodicamente categorizada, comparando-a com a literatura científica.

Gráficos com as informações de blogs negacionistas (à esquerda) e de divulgação científica (à direita). No alto, as cores indicam se a informação afirma que o gelo marinho está diminuindo (azul), não está diminuindo (vermelho) , ou que está diminuindo mas não é uma tendência futura (verde). Em baixo, a informação de que os ursos polares estão sob ameaça (azul), não estão ameaçados (vermelho), ou irão se adaptar (verde). Fonte: figura 1 do estudo.

Os resultados evidenciaram a profunda diferença no tipo de cobertura realizada por blogs de divulgação científica e por blogs negacionistas (ver gráfico acima). Os dois grupos ocuparam posições diametralmente opostas. Os blogs científicos abordaram as evidências obtidas pela pesquisa científica sobre a tendência de declínio do gelo marinho ártico e a ameaça aos ursos polares. As informações era comumente baseada em artigos científicos.

Por sua vez, os blogs negacionistas promoviam idéias e informações que contrariavam as evidências científicas. Os argumentos desses blogs se concentravam nas incertezas do efeito do aquecimento global sobre o gelo marinho do Ártico, ao mesmo tempo em que duvidavam da vulnerabilidade presente e futura dos ursos polares.

Uma vez que iam de encontro ao pesquisado pela ciência, usualmente os blogs negacionistas não faziam referência à artigos científicos. O estudo mostrou que 80% deles tinham como referência uma única fonte. Tratava-se, não surpreendentemente, de outro blog negacionista, cuja autora se auto-intitulava especialista em ursos polares.

Mas a autora do blog de referência nunca havia realizado pesquisa original. Tampouco havia publicado qualquer artigo em publicações científicas. Não possuía nem especialização ou experiência sobre o tema, servindo a outros interesses: ela era ligada a uma fundação (think tank) conservadora voltada ao descrédito do aquecimento global.

Gráfico mostra que a literatura científica (verde) e os blogs científicos estão sobrepostos, indicando que partilham da mesma informação de que o gelo marinho do Ártico está em declínio e os ursos polares, ameaçados. Os blogs negacionistas (amarelo) não reproduzem a informação da literatura científica. Fonte: figura 2 do estudo.

Mas como identificar se uma fonte está promovendo a desinformação, como fazem os blogs negacionistas? Os cientistas sugerem a aplicação de quatro critérios. Primeiro e mais importante, verificar se os dados ou argumentos apresentados se baseiam e fazem referência a artigos científicos. O segundo é observar se a fonte tem alguma ligação a grupos, fundações e organizações não governamentais que combatem a ciência do clima.

O terceiro critério diz respeito às credenciais de quem está prestando a informação. Geralmente, negacionistas não participam do desenvolvimento do conhecimento científico por meio da pesquisa e publicação de artigos. Sua experiência pode ser auto-produzidas. Segundo o estudo, muitos blogs negacionistas existem para promover visões de mundo predeterminadas e agendas políticas ou econômicas.

Finalmente, deve-se esta atento à linguagem utilizada. É comum que negacionistas ataquem adversários ou cientistas com termos como “eco-fascistas” ou “fraudadores”. Essa é uma tática comum empregada por grupos negacionistas, visando a evocar emoções para engajar o público contra a ameaça de cientistas enganadores.

Mais informações: Internet Blogs, Polar Bears, and Climate-Change Denial by Proxy
Imagem: Pixabay

Comments are closed.