Press "Enter" to skip to content

Agropecuária pode se adaptar a aquecimento de até 2ºC

Se a temperatura não ultrapassar 2ºC, o setor agropecuário poderá compensar os impactos do aquecimento global por meio de medidas de adaptação. O efeito dominante do aumento da temperatura será encurtar o período de crescimento e reduzir a produção de grãos, apontou estudo de um time internacional de cientistas.

Um dos campos mais férteis de pesquisas o aquecimento global e das mudanças climáticas é a respeito das consequências para a produção de alimentos. Os resultados alertam que a produtividade atual poderá ser severamente afetada, sendo que os aumentos da temperatura já provocaram impactos negativos em alguns cultivos agrícolas.

Estima-se que para cada 1ºC de aquecimento, os rendimentos das culturas de cereais podem diminuir entre 3,1% e 7,4% se nenhuma medida de adaptação for adotada. E projeções de cenários futuros de aquecimento sugerem que rendimentos agrícolas experimentarão um declínio.

No caso da temperatura, pesquisas reuniram evidências de que o aquecimento leva a uma aceleração dos estágios do ciclo de vida do plantio e do metabolismo do crescimento da planta. A modificação nos estágios dos ciclos de vida pode encurtar o tempo de formação dos grãos, reduzindo o rendimento.

As altas temperaturas também possuem o potencial de interferir no processo de fotossíntese, na fase reprodutiva – incluindo a polinização -, ou nas taxas de evapotranspiração. A interferência da temperatura sobre a produção agrícola acontece simultaneamente a outros fatores, como, por exemplo, a precipitação.

De acordo com o estudo, os modelos computacionais consistem em uma ferramenta popular para explorar as possíveis consequências do aquecimento global sobre o setor agropecuário. O desafio é combinar os efeitos da temperatura com os dos outros fatores, bem como integrar as possíveis alternativas de adaptação existentes.

Os cientistas desenvolveram um modelo para explorar os efeitos da temperatura local sobre a produção agrícola mundial dependente de chuva – não irrigada. Eles investigaram o potencial de minimizar os impactos do aquecimento por meio de duas alternativas de adaptação.

A primeira consistia uso na aplicação de cultivares com o ciclo de vida ajustado para as possíveis modificações no estágio de crescimento da planta. A segunda alternativa de adaptação considerada foi a conversão da agricultura dependente da chuva em sistemas irrigados. Os tipos de grão incluídos no estudo foram arroz, milho, soja e trigo.

As simulações indicaram que a produtividade do setor agropecuário enfrentará perdas à medida que avança o aquecimento global. Todavia, no cenário em que o aumento da temperatura média global foi de até 2ºC, a alternativa de adaptação pelo uso de cultivares poderia compensar os efeitos da temperatura, mantendo os níveis produtivos.

A eficácia da alternativa de adaptação por meio de irrigação foi menor. Ela também poderia compensar as perdas, mas apresentou maior potencial em regiões áridas – nas quais sua aplicação enfrenta o limite da escassez de água.

Além disso, a irrigação não minimizaria os efeitos da temperatura. Os cientistas concluíram que, em vez de alternativa de adaptação, a irrigação representaria uma estratégica de intensificação da produtividade. Ela aumentaria o rendimento em qualquer nível de temperatura.

Identificou-se uma variação geográfica tanto dos impactos quanto da possibilidade de adaptação. As regiões continentais e temperadas poderiam experimentar benefícios com o aumento das temperaturas, ou então menores impactos. Elas também teriam maior potencial de adaptação.

As regiões tropicais e áridas, por sua vez, sofreriam maiores impactos ao mesmo tempo em que disporiam de menor potencial de adaptação pelo uso de cultivares ou irrigação.

Caso o aquecimento seja superior a 2ºC, as medidas de adaptação não compensariam mais os prejuízos causados pelo aumento da temperatura. Nesse cenário, o setor agropecuário veria uma inevitável  perda de produtividade.

Mais informações: Minoli, Sara, et al. “Global response patterns of major rainfed crops to adaptation by maintaining current growing periods and irrigation.” Earth’s Future.
Imagem: Unsplash/ Carl Nenzen Loven

Informações científicas e recursos audiovisuais sobre o aquecimento global, o efeito estufa e as mudanças climáticas
%d blogueiros gostam disto: