Press "Enter" to skip to content

Adaptação desconsidera cenários de maior aquecimento

Os cenários de aquecimento global elevado não tem sido considerados nas tomadas de decisão de instituições e governos dos países, identificou estudo de uma equipe de pesquisadores europeus. Mas tais cenários estão se tornando cada vez mais prováveis.

O acordo climático de Paris estabeleceu como meta limitar o aquecimento a menos de 2°C acima dos níveis pré-industriais. Considerando a trajetória atual e no futuro próximo das emissões de gases de efeito estufa, alcançar a meta será uma tarefa extremamente difícil.

Por outro lado, de acordo com o estudo, mantendo-se a quantidade anuais de emissões, projeções indicam uma elevação da temperatura média global de 4°C ou mais. O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas – IPCC, na sigla em inglês – estima aumentos entre 3,7°C a 4,8°C até 2100, caso as emissões não sejam reduzidas.

Dessa forma, cenários de aquecimento global elevado, que ultrapassem a meta de 2°C, tornam-se com o passar do tempo – e com a ausência de medidas eficazes de mitigação – mais plausíveis. Tais cenários incluem severos impactos em múltiplos setores, entre os quais o risco de enchente, o aumento do nível do mar, a escassez de água ou o estresse por calor.

Para avaliar se tomadores de decisão estavam considerando cenários de maior aquecimento global, os pesquisadores entrevistaram representantes de instituições e órgãos da União Européia e dos governos da Escócia, Hungria e Portugal.

A análise identificou que cenários de maior aquecimento não são vistos como mais prováveis ou urgentes pelos tomadores de decisão. Tampouco são percebidos como úteis para o processo atual de tomada de decisão relacionado às mudanças climáticas. 

Os pesquisadores encontraram uma contradição. Os entrevistados declararam que os cenários acima de 2°C influenciavam os processos ligados à implementação de medidas de adaptação. Na prática, entretanto, as instituições e governos levavam em consideração somente os cenários com os limites de 1,5°C e 2°C.

Os resultados apontam para o potencial surgimento de conflitos na arena da política climática. De um lado, instituições e governos dão preferência a cenários moderados de aquecimento na tomada de decisão relacionada à adaptação. De outro lado, a perspectiva de que cenários mais elevados irão se confirmar é cada vez mais relevante.

Mais informações: Are European decision-makers preparing for high-end climate change?
Imagem: Pixabay

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: