Press "Enter" to skip to content

A nova terra do gelo e do fogo

A Islândia, um pequeno país localizado ao norte da Europa e próximo ao círculo polar, é conhecida como a terra do gelo e do fogo, porque reúne em seu território duas poderosas forças da natureza, extensas geleiras e vulcões ativos. Mas um estudo de pesquisadores da Universidade de Edimburgo descobriu um candidato a constituir a nova terra do gelo e do fogo: o oeste da Antártica.

A Antártica é conhecida por ser a terra do gelo em função da imensa calota polar que domina o continente. A calota possui espessura média de cerca de 1,8 km, podendo chegar a mais de 4 km. Por causa disso, a Antártica é o continente que possui a maior altitude media, de 2.500 metros. Aproximadamente 10% do volume total de gelo fica localizado na porção oeste, o suficiente para aumentar o nível global do mar em cerca de 3 a 5 metros.

Também na região oeste fica localizada um conjunto de fendas continentais denominado Sistema de Fendas do Oeste da Antártica. As fendas continentais se formam no processo geológico de separação de uma placa tectônica da crosta terrestre, o que leva milhares de anos. Segundo o estudo, em geral, a pontos onde se observa a separação das placas  está associado uma considerável atividade vulcânica.

No caso do oeste da Antártica, a presença da calota polar impedia o levantamento mais detalhada da geologia da crosta terrestre, e dessa forma poucos vulcões haviam sido identificados.  Os pesquisadores tentaram aprimorar o levantamento por meio da análise morfométrica do mapeamento da topografia na base da calota polar da região oeste da Antártica. Verificaram a presença na crosta de elevações cônicas, que depois foram avaliadas quanto a probabilidade de serem edificações vulcânicas.

A partir desse método, o estudo realizou o primeiro inventário dos vulcões presentes no oeste da Antártica. Foram identificados ao todo potenciais 138 vulcões, um avanço significativo em relação aos 47 anteriormente conhecidos (ver mapa abaixo). Os cones, em grande parte sem sinal de erosão, possuem características morfológicas semelhantes a de vulcões presentes em outras áreas de fendas continentais. Isso sugere, de acordo com os pesquisadores, que a vulcanismo no oeste da Antártica continua ativo.

West Antartica volcanoes.png
Mapa com a distribuição dos vulcões no oeste da Antártica. As cores indicam o grau de confiança, variando do menor – azul claro – para o maior – roxo.

O estudo sugere que o oeste da Antártica constitui uma das maiores províncias vulcânicas do planeta. E alerta que o cinturão de vulcões, assim como pode ter exercido uma importante influência no comportamento passado da calota polar, poderá interferir na sua futura estabilidade.

Mais informações: A new volcanic province: an inventory of subglacial volcanoes in West Antarctica
Imagem: NASA/Global Ice Viewer

%d blogueiros gostam disto: