Press "Enter" to skip to content

Adaptação para enfrentar o estresse térmico no trabalho

O aquecimento global elevará o impacto do calor sobre trabalhadores em regiões de clima quente, aponta estudo de pesquisadores de Chipre e da Suécia. O aumento dos riscos requer a adaptação dos métodos de monitoramento e das estratégias de proteção.

Projeções indicam que o calor irá se tornar uma ameaça à saúde pública e ocupacional em algumas áreas do mundo.  Um dos elementos a ser afetado é o estresse por calor no local de trabalho.

A fim de monitorar o estresse térmico ocupacional, o estudo cita quatro variáveis climáticas: a temperatura, a umidade do ar, a velocidade do vento e a radiação do sol. Aqui começam as dificuldades. O estudo ressalta que, em geral, as estações climatológicas não medem diretamente a radiação solar.

Outro problema diz respeito ao local de trabalho. As condições do ambiente interno, como, por exemplo, a temperatura, podem apresentar diferenças em relação ao ambiente externo. Com isso, os dados obtidos por estações meteorológicas podem não corresponder adequadamente ao observado no local do trabalho.

Além disso, fatores associados ao tipo de trabalho, como a intensidade física ou o vestuário, também afetam a troca de calor entre o corpo e o ambiente. Podem contribuem para situações de estresse.

Frente aos impactos do aquecimento global, o estudo indicou a urgência na melhoraria de métodos para estabelecimento do estresse térmico individual. Os pesquisadores revisaram quatro índices, incluindo o Índice de Desconforto e o Índice de Tensão Prevista de Calor, apontando em todos vantagens mas também limitações.

Métodos futuros de avaliação do estresse térmico devem se basear em aspectos fisiológicos e físicos, levando em conta condições ambientais quente e úmidas e quentes e secas e vulnerabilidades. Deve também permitir uma ampla gama de ajustes no vestuário.

Por causa do aquecimento global, a gestão eficiente do estresse térmico no trabalho dependerá de sistemas de alerta, de métodos válidos e confiáveis para medir e avaliar a exposição ao calor , e do desenvolvimento de medidas preventivas. Será preciso se adaptar à nova realidade de um clima mais quente.

Mais informações; Occupational heat stress assessment and protective strategies in the context of climate change
Imagem: Pixabay

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: