Press "Enter" to skip to content

Mais sol no Rio Grande do Sul

Em um cenários de altas emissões de gases de efeito estufa, a quantidade de radiação solar incidindo no Rio Grande do Sul aumentaria, afirma artigo de pesquisadores brasileiros. Com isso, o estado experimentaria um maior potencial de geração de energia eólica.

Segundo o artigo, as fontes renováveis respondem por 43,8% da matriz energética do Brasil. As alterações no clima futuro, em função do aquecimento global, podem introduzir diversos impactos no setor, tanto na geração, quanto na distribuição e no consumo de energia.

Um dos grandes potenciais brasileiros de geração é a energia solar. As vantagens dessa fonte incluem a diversificação da matriz energética nacional e a mitigação do aquecimento global. Para dimensionar os sistemas solares, no entanto, deve-se produzir informações sobre a quantidade de luz solar disponível nas diferentes regiões do país.

O artigo investigou essa questão com apoio de um modelo climático desenvolvido no Brasil. Foi considerado um cenário de altas emissões, considerando o período até o final do século. Para investigar a variação na quantidade mensal da radiação, os pesquisadores compararam os resultados do modelo com os dados atuais de radiação solar do Rio Grande do Sul.

Gráfico comparando as projeções de radiação solar (em azul) com o observado no presente (em vermelho). Fonte: adaptado da figura 5 do artigo.

A projeção do modelo climático mostrou  o mesmo padrão de variação sazonal. Contudo, registrou-se em todos os meses do ano um da quantidade da radiação solar no futuro em comparação com o observado atualmente. O maior aumento, acima de 25%, ocorreu nos meses de outubro e novembro, seguido dos meses de janeiro, fevereiro, setembro e dezembro, nos quais o acréscimo de radiação solar foi de 20%.

O planejamento e a operação do setor elétrico brasileiro precisa incorporar os possíveis efeitos das mudanças climáticas, ressaltou o artigo. Exemplo disso é a influência na disponibilidade da radiação solar no Rio Grande do Sul.

Mais informações: Mudanças climáticas e projeções para a radiação solar no estado do Rio Grande do Sul a partir dos modelos CMIP5 e BESM
Imagem: Pixabay

%d blogueiros gostam disto: