Press "Enter" to skip to content

Minha terra tem palmeiras

As palmeiras talvez deixem de ser uma espécie típica das zonas tropicais no futuro. As mudanças no clima causadas pelo aquecimento global podem expandir a área de ocorrência das palmeiras para as regiões temperadas, indica estudo de pesquisadores do Canadá e dos Estados Unidos.

Fósseis de palmeira são utilizados pela ciência para reconstruir as condições climáticas do passado geológico da Terra. De acordo com o estudo, a planta possui intolerância ao frio, e os brotos não suportam temperaturas abaixo de zero. Os fósseis servem, portanto, como evidências de climas tropicais ou subtropicais e de invernos sem congelamento.

Na Antártica, por exemplo, foram identificados fósseis de palmeiras que viveram no continente há mais de 50 milhões de anos atrás. Os pesquisadores indicaram que tais fósseis auxiliaram a ciência a definir que o clima da Antártica na época era bem mais quente do que no presente.

O estudo buscou quantificar com maior precisão a tolerância das espécies de palmeiras às temperaturas médias do inverno. Para tanto, analisaram estatisticamente um conjunto de mais de 20.000 registros de ocorrência da planta ao redor do mundo.

Cada registro de ocorrência passou por um filtro e teste, a fim de verificar se ele retratava condições climáticas naturais. Dessa forma, os pesquisadores puderam estabelecer a faixa representativa de tolerância de diferentes tipos de palmeiras à temperatura média do inverno.

Populações de palmeiras são viáveis somente em regiões onde a temperatura média do inverno é superior a 5oC, concluiu o estudo. Todavia, a capacidade de suportar temperaturas menores no inverno variou significativamente de acordo com o tipo de palmeira, com alguns tipos suportanto até 2,2oC em média.

A sazonalidade exerce maior influência para certos tipos de palmeira do que a temperatura média do inverno. Esses tipos habitam regiões nas quais a variação do clima entre as estações do ano é baixa. Geralmente, sua ocorrência é restrita a latitudes tropicais ou a climas fortemente moderados pelo oceano.

Os pesquisadores apontaram que as palmeras servirão de indicadores de mudanças climáticas. Com o aquecimento global, as zonas de ocorrência das palmerias devem se expandir das zonas tropicais para aquelas de maior latitude.

No sopé dos Alpes suíços, uma espécie de palmeira cultivada para fins ornamentais conseguiu se adaptar no ambiente natural. Ela se espalhou pela região, uma vez que geadas durante o inverno na região se tornaram menos frequentes.

A expectativa dos pesquisadores é que os resultados do estudo ajudem na reconstrução do clima do passado terrestre. E, com isso, contribuir no entendimento das mudanças pelas quais passou o sistema climático.

Fonte: Universidade de Columbia
Mais informações: The relation between global palm distribution and climate
Imagem: Pixabay

Comments are closed.